Apartamento Da Fonseca

Categorias Residencial
0 / 0

Lisboa, Portugal

Quando chegámos à Rua Rodrigo da Fonseca, no centro de Lisboa, observamos o carácter histórico pombalino dos edifícios, com estrutura em gaiola e cruzes de Santo André. Contudo, apesar de seu contexto e fachada históricos, o apartamento de pé direito alto, estava completamente despido deste cariz histórico, uma vez que havia sido inteiramente remodelado no final dos anos 90, onde todas as suas características interiores ornamentais foram retiradas e substituídas por gesso cartonado, com linhas direitas e sem identidade.

Era necessário devolver essa identidade perdida, para além de responder às necessidades do cliente e ainda desenhar um apartamento contemporâneo, visto que era pretendido que as áreas sociais fossem todas integradas, de forma ao casal poder cozinhar e estar integrado com a restante área social. A cozinha transforma-se no coração na casa, com um desenho amplo, elegante e actual. Para separar a cozinha de um espaço de arrumação de apoio utilizou-se como divisória cruzes de Santo André, evocando a história do lugar, sendo também reforço estrutural e sísmico, e ainda permitindo a entrada de luz natural e ventilação para esta zona de arrumos. Esta zona de arrumação visualmente aparenta ser uma parede de armários mas acaba por esconder a entrada para a área privada da casa onde existem as suítes, separando as duas áreas da casa – social e privada – de uma forma completamente dissimulada.

O cliente queria que existisse um local para que pudesse assistir televisão na zona social. Desse modo propusemos uma peça central em madeira e mármore que ao mesmo tempo que serve de ponto focal na sala de estar, esconde a televisão, bar, arrumos, biblioteca e espaço técnico. Uma escultura disfarçada, onde o objecto estético vem servir, mais que a sua função de contemplação, a sua função de uso múltiplo.

Agora com zona de estadia e social da residência voltada para a suas grandes janelas de sacada, nos meses quentes, os Jacarandás lilases na rua trazem a primavera para dentro do lar, onde o urbano e o natural podem ser apreciados.

Transformação
Planta Baixa

Fotografia: Ricardo Oliveira Alves