Penthouse Vista Ponte

Categorias Residencial
0 / 0

Lisboa, Portugal

A história por detrás do projecto baseia-se em desenhar um pied-à-terre para um animado casal que realiza o sonho de viver temporadas ao longo do ano em Lisboa.

O casal adora cozinhar e organizar jantares onde reúne os seus amigos, portanto o espaço social e o espaço de confecção teriam de ser amplos, flexíveis e estar relacionados.

O programa do apartamento divide-se em duas partes distintas, onde o espaço privado e o espaço social se separam numa cortina de madeira, que esconde o acesso às suites e ao lavabo social.

Inicialmente o apartamento era demasiado compartimentado, completamente incompatível com a amplitude pretendida e, sobretudo, a vista incrível sobre o Rio Tejo e a Ponte 25 de Abril estavam enclausuradas com tantas paredes, mal enquadrada nestes pequenos espaços que quase gritavam para se soltarem, se abrirem e finalmente respirarem.

A fluidez desejada e um enquadramento perfeito de uma vista maravilhosa inspirou-nos a desafiar o conceito de gravidade através do design.

A ideia surge então num open space que junta a cozinha e a zona de refeições numa só peça de 5.5m, cuja morfologia se assemelha a um casco de barco suspenso, numa ilha que quase se pousa sobre o rio, posicionada de forma a contemplar plenamente a vista, em harmonia com o vão que emoldura a Ponte 25 de Abril que se rasga horizontalmente em todo o comprimento destas duas zonas.

Na zona de estar, mais uma vez, explora-se os limites dos materiais de forma a alcançar leveza e fluidez intencionalmente, desta vez na forma de um banco suspenso. De uma peça que enquadra o espaço social e serve para contemplar a vista, acaba por ser também, ela própria, objecto de contemplação.

Os dois elementos foram usados para explorar os limites dos materiais para conseguir leveza e fluidez intencionalmente.

E aqui o jogo mental começa, o “trompe l’oeil”. Afinal de contas, como é que um banco de mármore de 3 metros fica suspenso no ar?

Diagrama
Planta Baixa

Photografia: Fernando Guerra