Linnanniemi Portti

Categorias Masterplan
0 / 0

Turku, Finlândia

Você pode sentir a presença da água, você pode vê-la, e você quer poder senti-la sob seus pés, poder observar o movimento do rio e a chegada dos barcos à porta de entrada do rio. cidade. Em uma área repleta de história e memória significativa, por muito tempo se desconectou de seu elemento natural, a água. O porto tornou-se em si mesmo uma fratura mineral e desagradável entre o centro da cidade e o rio, e agora mais do que nunca, os cidadãos de Turku querem o direito de acessar o rio, sem barreiras.

Tendo em vista a necessidade de ligar a cidade ao seu rio, a proposta visa dar corpo a todas as qualidades de uma metrópole contemporânea em crescimento, tais como: respeito pelo seu património, para daí desenvolver o projecto em torno do castelo e do seu jardim; Identificação e marcação de um marco para a cidade, com uma porta de entrada como o novo marco na cidade, um hub foi criado com um corredor comercial vibrante e atraente; criação de um parque à beira do rio como um catalisador de sustentabilidade, desvio e uma estratégia de proteção para gerenciar as enchentes; uma mobilidade segura, esta estratégia faz-se através da transformação da antiga via férrea em corredor verde e da ligação da frente ribeirinha a nascente; e finalmente através de uma arquitetura sustentável usando técnicas e materiais de construção locais.

A articulação destes princípios, é uma combinação de vários elementos construídos, conexões e redes sociais, para finalmente devolver ao rio o acesso à cidade e aos seus cidadãos. Subdividida em três grandes áreas, a primeira zona materializa a atividade económica, onde a rua comercial se desenvolve no núcleo dos pólos de escritórios. A segunda zona é o que engloba o parque urbano. E, por último, a terceira zona é a área cultural que contém os museus. o projeto visa oferecer a possibilidade, na primeira área, de conectar o terminal a um vibrante centro econômico onde os usuários podem ancorar seu barco próximo ao escritório a uma segunda área; o parque como um conector ao tecido urbano existente e ao novo museu, um eixo claramente identificado para o visitante. A nova linha de costa conecta essas diferentes áreas, integrando-se em uma história coerente e clara: oferecendo novas maneiras de viver uma vida ativa e sustentável dentro da natureza circundante.

Uma vez construída, a área de intervenção trará de volta um desejo latente de um novo ambiente de frente de água para Turku, um porto urbano, religando a cidade ao seu rio. O projeto paisagístico propõe que a faixa comercial se incline em direção à vegetação e ao cenário do parque, a fim de borrar a linha entre o centro comercial e de escritórios e o parque. Ao oferecer um centro econômico e cultural, integrado e conectado por meio de um parque costeiro verde público, o projeto expande os próprios ideais da cidade de Turku, para abraçar uma visão de uma metrópole contemporânea e vibrante e uma ligação entre os vivos e natureza.

ARENA BSB

Categorias Masterplan
0 / 0

Este projeto é a proposta do concurso público para a Arena BSB, junto ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília, e baseia-se em três elementos icónicos: o Boulevard, a Arena e o Pedestre.

Boulevard é uma via arterial, geralmente arborizada, teoricamente concêntrica, estabelecida no centro de uma urbanização. É um lugar de caminhada frequente e de contemplação de uma monumentalidade arquitetónica, onde é possível encontrar ambientes e programas diversos, tal como uma Arena.

A Arena, geralmente apresenta-se de arquitetura circular ou oval, com um vazio no centro, isto é, um espaço encerrado em si mesmo, fechado para o exterior. A proposta foi transformar uma tipologia tão voltada para si própria num espaço sócio-urbano aberto e em consonância com as aspirações da cidade de Brasília.

O empreendimento visa tornar-se não apenas o motor de uma economia moderna, aberta ao futuro, mas também conter uma grande avenida simbólica, ambiciosa e reconhecida por todos, como um novo cartão postal para a cidade. A transformação tipológica da arena é possível pela configuração da avenida, onde o contexto urbano propõe uma nova visão arquitetónica e, assim, a proposta para a Arena BSB ganha a forma de uma avenida pedonal.

O novo boulevard apresenta-se morfologicamente como uma cobertura sob pilotis, que tem como referência a marquise do Ibirapuera, elemento icónico que originou o projeto arquitetónico. Representa movimento e demarca o percurso que o visitante pode fazer livremente, permitindo um trajeto variado e intimista, capaz de incentivar o pedestre a manter um ritmo lento, distraído e estimulante para o consumo.

A arquitetura procurou, através da sua plasticidade, dialogar com as diversas escalas que o complexo toca. O complexo é monumental pela sua envolvente, é sociável pela sua função e ao mesmo tempo almeja ser banhado pelo bucólico. As suas curvas dialogam com o estádio e proporcionam composições inesperadas para o visitante. Num meio urbanístico desprendido, composto de ícones, praças e elementos-chave, a proposta visa poder compor-se e agregar-se ao cenário urbano e património arquitetónico existente de Brasília.

Axonometrica
Entrada Principal

Becos Culturais
Eventos Espontâneos

Mezanino
Mercado Orgânico
Praça de Coworking e Reuniões
Cinema Indoors
Cinema Drive-In
Boulevard Superior
Avenida Arborizada
Parque de Skate
Park de Cães

Complexo Esportivo
Equipamento de Apoio
Corte
Circulação, Módulos Térmicos e de Programa
Planta baixa do Boulevard Inferior
Planta do Boulevard Superior
Boulevard Superior e planta baixa do complexo esportivo

Renders: Ian Alves